Resenha de Show: Claustrofobia e In Flames

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009


Claustrofobia e In Flames (15/02/2009) - Santana Hall

Apesar da forte chuva em São Paulo, os headbangers não abandonaram a fila para entrar no Santana Hall, fila essa que contornava o quarteirão.

A bandeira com os dizeres "Claustrofobia – Metal Maloka" estava estendida à frente do palco e alertava quem estava por vir. A equipe acertava os últimos detalhes, era evidente que ocorria algum problema, pois o público já havia lotado a casa e os caras ainda passavam o som. De qualquer maneira, tratando-se de Claustrofobia, sem dúvida o "bicho ia pegar"!

Sob protestos do frontman Marcão, visivelmente irritado com a (des)organização do evento, o show teve início com direito a efeitos de fumaça e luzes. Os fãs da banda principal, In Flames, ficaram de boca aberta com a porradaria que o Claustrofobia mostrava no palco.

Mesmo nervosos com os problemas ocorridos antes do show, os caras fizeram uma performance raivosa e digna do verdadeiro "Metal Maloka". O vocalista Marcão agradeceu diversas vezes a todos, inclusive aqueles que não conheciam o som da banda. Com direito a cover do Ultraje a Rigor, "Filho da Puta" passou o recado em alto e bom som a quem deveria.

Terminada a apresentação do Claustrofobia, os técnicos rapidamente desmontaram o equipamento e prepararam o palco para os suécos do In Flames. O Motivo? Pasmem!, o In Flames, na noite do último domingo, abriu o show para uma atração inusitada: 'Calcinha Preta', senhores!

Piadas à parte, o show dos caras foi intenso e o som estava impecável mesmo com a acústica da casa não ajudando muito. Anders (vocalista) não parou um minuto sequer, até por que, com um público cantando do começo ao fim, ninguém fica parado.

Ainda sem o guitarrista e membro fundador da banda, Jesper Strömblad, seu substituto temporário, Niclas Engelin, mostrou-se bem à vontade no palco. Anders lembrou a ausência do amigo aos gritos de "JESPER", vindos da galera. Um dos seguranças que vinha sendo mais enérgico com o público, saiu do anonimato quando o vocalista se dirigiu à frente do palco e perguntou seu nome. Paulo, que até então era apenas mais um "inimigo" da diversão, foi defendido por Anders: "Ele está apenas cumprindo sua função". Porém, a galera não aceitou a defesa do líder do In Flames e mandou um belíssimo: "Hey Paulo, vai tomar no...".

A imprensa foi proibida de colher imagens em vídeo. Inclusive, o show foi ameaçado de interrupção, caso imagens fossem gravadas. No entanto, o In Flames se apresentou com muita energia e atitude, para fã nenhum botar defeito.

Apresentação curta e forte, recheada de clássicos como, "Episode 666", "Come Clarity" e "The Mirror's Truth". Para finalizar, Anders pediu ao público que deixasse o show na memória da banda. Segundo o vocalista, aquela seria a última oportunidade para que nós [brasileiros] marcássemos o mapa do In Flames. Com "Take this Life" e "My Sweet Shadow" os suécos se despediram da turnê brasileira.Esperamos que voltem, no entanto, com mais humildade, e que sejam mais educados com a imprensa do Brasil.

FELIPE MOTTA
REPORTÁRIO
METALSPLASH

* * *

4 Metalsplashers:

j_p disse...

esse show foi du karáleo! finalmente o in flames no brasil

Rakky Curvelo disse...

aêeeeee Elaineeee!!!

Valeu o comentário! Tô acompanhando aqui o MetalSplash, sempre!

Beijãos da Rakky ;)

Carol Cruz disse...

Normal... sempre tem banda de fora que vem se achando pra cá...

Ainda bem que o show foi bom! Isso que vale, né?

Bjs!

Carol Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.