UMA HISTÓRIA ÉPICA PARA O METALLICA

terça-feira, 23 de setembro de 2008


“O METALLICA está de volta”
, escuta-se por toda a parte. Não é que o St. Anger seja, de fato, um álbum ruim. E nunca foi esta a questão: os fãs, a comunidade do metal, não são uma Academia Crítica da Música, mas entes culturais ouvintes daquilo que é produzido. O St. Anger (embora talvez não enquanto lançado,) agora, depois do lançamento do Death Magnetic, se afigura como uma estupidez, um erro – um erro cuja função histórica seria a de ser corrigido pelo Death Magnetic.

Tudo se passa como se o METALLICA tivesse se perdido na História do Rock somente para se encontrar de forma mais majestosa com o lançamento do novo álbum: nascidos em um gênero que se distinguia por natureza do gênero pop, sobreviveram até uma Era em que as coisas não são mais tão simples assim. Emprestaram elementos de outros gêneros ao mesmo tempo em que a cena pop o fez e, com isso, acabaram por produzir um estranhamento progressivo entre eles e os fãs, e, talvez, até entre eles mesmos [Some Kind of Monster] – estranhamento este que é, possivelmente, solucionado neste CD.

O processo, que tem início no Load (com elementos country, mas que historicamente pode ser identificado também no Black Álbum que eu, particularmente, prefiro considerar álbum de transição “anônimo”), encontrou seu ápice na caixa-lata-de-nescau do St. Anger; o que é bem conhecido por quase todo headbanger: a banda toma cada vez mais distância de sua base conservadora de fãs e faz mediação com a cena pop, que, quando finalmente está plenamente preparada para o metal, recebe St. Anger - numa tentativa de recapturar uma brutalidade perdida, acabam com um produto singular e inconsumível (“The End of The Line”) - que soa como a morte do METALLICA que adoecera.

Mas todas essas premissas só se revelam verdadeiroas e claras com este lançamento. Na verdade, o estranhamento era tão grande que os próprios fãs de METALLICA estavam imersos em um desacordo histórico que jamais será complenamente solucionado. “Não era uma base de fãs, era um amotinado de incertezas...”:

(1) fãs da geração do Load e do Reload, que já não se identificavam com os primeiros álbuns da banda;
(2) fãs de
St. Anger, que não tinham nem condições de conceber porque os ‘Tr00 Metal’ abominavam faixas como "Memory Remains" ou "Ain’t my Bitch";
(3) fãs que se identificam com o Metal, mas que não eram identificados com o mesmo pelo resto da comunidade.
Este resto, no caso do METALLICA principalmente, cada vez mais remoto, mais indiscernível:
- 3.1 alguns desistiam de gostar de METALLICA e o consideravam como uma banda do passado de morte no próprio Black Álbum,
- 3.2 outros acabavam reformulando seus gostos e perdendo a identificação com os primeiros, mas também não se associando aos ingênuos novos fãs.


Tudo isso, entretanto, aparece como um Épico de final glorioso, de recomeço honroso e legítimo [o assassínio do Dragão, ‘Broken, Beat and Scared’], de perdão por traição sistemática (“The Judas Kiss”, o imperdoável III, Load, Reload e St. Anger) dos fãs, nós, a princesa; somos então salvos do Dragão ao qual o próprio herói [a banda] nos abandonou (o apocalipse, o dia que finalmente chega, o fim da linha). Mas eis que essa banda suicida-se [no St. Anger] e renasce, e alcança a Redenção (Suicide and Redemption) de seus fãs num álbum histórico.

É aqui que, salvo talvez o fã mais devoto e sensível (o fã apocalíptico, dissidente das massas, fã do METALLICA até “And Justice for All”) que jamais se recuperará de ter sido abandonado aos Dragões (o grande Dragão da música Pop, o arqui-inimigo do Herói do Metal), mesmo agora que o Dragão do Pop não é mais um Dragão, mas uma anarquia generalizada de adequação formal de todo e qualquer som à categoria de produto.

O que permanece mesmo agora, quando torna-se permitido ao Metal, ao METALLICA, renascer sem o fantasma claro e definido do que não pode ser feito [daquele Pop delimitado de anteriormente], livre de antinomia, livre das proibições que esta banda tentou [e falhou] em subverter por tanto tempo e que acabaram morrendo pelas mãos da anarquia da própria cena Pop (pois tal anarquia desfigura as barreiras de todo anti-gênero por excelência, já que o Pop assume seu caráter “formal”, que passa a ser uma forma de apresentação de um produto, podendo abarcar, dentro dessa forma, absolutamente qualquer “gênero” de música).


23 Metalsplashers:

Daniel disse...

PORRA
ESSE É O MELHOR RELEASE DE UM CD Q EU JA TIVE O PRAZER DE LER
E BOTA PRAZER NISSO ESSA HISTORIA TA MTO FODA
MANDOU MTO QUEM ESCREVEU
PARABENS


ABRAÇOS

Carol Cruz disse...

Prí, vc é foda garota!!!!!

\o/

Eu ouvi apenas 3 músicas deste CD novo, e me senti aliviada... Pq eu tinha medo que o Metallica fosse engolido pela fase "St Anger" deles... O "Death" é excelente e remete à época do "Black Album". Finalmente o Metallica voltou às suas origens... Voltou a ser AQUELE Metallica das antigas...

=]

Bjs!

diego disse...

esse texto ta exepcional
glorioso mesmo...desde o titulo ate o desfecho..

diego disse...

(3) fãs que se identificam com o Metal, mas que não eram identificados com o mesmo pelo resto da comunidade. Este resto, no caso do METALLICA principalmente, cada vez mais remoto, mais indiscernível:
- 3.1 alguns desistiam de gostar de METALLICA e o consideravam como uma banda do passado de morte no próprio Black Álbum,

esse tipo de fã sou eu heheheh
q agora vejo o metallica renascer das cinzas e acredito em ressurreicao depois dessa
risos

mto bom mesmo

Marcos disse...

nao achei o cd ruim nao, gostei muito das novas musicas

Metalica de volta, ja nao era sem tempo!

parabens pela materia, a autora foi formidavel!

Sandman disse...

Não, definitivamente não voltou. para quem está esperando algo como o "and justice for all", não ouça.

Mas garanto que quem tem mente aberta, vai ver que o som cresceu, e que tem sua raíz lá nos anos 80. Os riffs estão bem pesados, e agressivos. o cd está excelente, e eu acho que o Metallica é foda.

Ainda assim, não comparo hj com 30 anos atrás, simplesmente pois os tempos são outros. Algo que acaba de ocorrer aqui: Compare o primeiro Rambo, com o mais recente. Acho que ser tr00 como a Pri coloca, não é ser fã, e sim, cabeçudo.

Quem simplesmente ouve música para achar defeito, não é tr00. É tosco.

Agora, eu não gostei do Metallica nos último álbuns, e concordo com o Diego em partes. Tipo... acho que o estilo que eu gostava de Metallica morreu, e talvez não volte nunca mais. Mas, há de convir que o Metallica novo está muito bom, e que dá sim pra bater cabeça pracaralho com esse CD.

Priscila Magossi disse...

"É aqui que, salvo talvez o fã mais devoto e sensível (o fã apocalíptico, dissidente das massas, fã do METALLICA até “And Justice for All”) que jamais se recuperará de ter sido abandonado aos Dragões (o grande Dragão da música Pop, o arqui-inimigo do Herói do Metal)"


Como eu disse, nao é A MESMA COISA, mas o METALLICA renasceu nesse álgum, ressurgiu das cinzas, voltou a existir em tempo presente e nao mais no passado...

Priscila Magossi disse...

Sandman é o fã apocaliptico, mais devoto e sensivel ;)

Eu sou uma fã comum, que, alías, até prefere o novo som ao antigão!

Jéssica disse...

a autora mandou maravilhosa/e bem nesse texto, tá fudido demais :)
adorei as divisoes dos fãs, as palavras usadas, tudo!!!!!
paguei um puta pau pra analogia com a princesa e o dragao hehehe
fez lembrar um poko akela piadinha tradicional sobre os estilos de metal, mto bom :D



Beijocas

Jéssica disse...

mtooooooooooooooo foda


“Não era uma base de fãs, era um amotinado de incertezas...”

Jéssica disse...

ah pessoal eu naum tinha passado por aki ainda nessa semana e fiz um elogio na materia do sergio tbm..essa semana vcs tao foda heheh
pena q agora so ficam 2 materias por pagina..era + legal qdo apareciam as da semana toda..pq nao eh todo dia q eu passo por aqui e era legal poder só rolar a tela e ver o q foi postado ao invez de ir pra "postagens + antigas"
to + avisando pq o comentario eh legal, keria q ele lesse :)


Beijocas!!

Leonardo disse...

devo discordar do sandman qdo diz q qm ouve musica p/ botar defeito nao é true mas tosco... todo true é tosco e limitado... e vive botando defeito em tudo q ouve.. eu diria mais até.. diria q uma palavra é digamos q...sinonimo da outra.
nao discordo da frase propriamente dita mas do contexto q foi inserida
o Metallica das antigas morreu mesmo mas agora existe um novo Metallica, um Metallica renascido, um Metallica pós-moderno, um Metallica do século XXI, q foi mto bem definido no texto
concordo com o daniel, esse foi o melhor release q eu já li na vida
e com a carol, pelo q entendi do comentario dela, ela nao comparou exatamente o SOM q Metallica anos atrás com o som que o Metallica faz hoje, nao em termos de musicalidade, a comparação foi feita num nivel q diz O METALLICA ESTÁ VIVO, TAO VIVO QUANTO ESTAVA NA EPOCA DAS ANTIGAS!!!!
E isso é foda...mto foda

(carol, se estiver errado sobre a leitura q fiz do q escrevestes, me corrija por favor)

Bom é isso pessoal, sucesso e parabens pelo texto!!!!

Sandman disse...

Leonardo, Apoiado!

Sabrina disse...

caramba
até o titulo é perfeito :-O

"UMA HISTORIA EPICA PARA O METALLICA"

excelente
excelente
excelente

Sabrina disse...

fiquei curiosa pelo comentario da jessica e fui dar uma olhada nas postagens mais antigas
o cardapio está sensacional!!!
comentei tbm hehehe :-)

Thiago El Patron disse...

sandaman, discordo de voce, quando diz que quem procura um and justice nao deve escutar o novo cd.

Sim, lembra o justice, eu coloco esse cd entre o justice e o black album. É um PUTA album do Metallica.

Lembrem-se que nos 2 primeiros cds, muitas das músicas são composições do Dave Mustaine. Eu falo que o Metallica de verdade é o and justice pra frente!

minha opnião!

abraço e bjos

Carol Cruz disse...

Léo! É isso ai! Foi exatamente o que quis dizer!

=D

E Jessica, pode ficar tranquila que o Sergio fuça a semana td nos comentários dos Cardápios! Hahahha! Ele vai ler sim! ^^

Bjssss!

Fabricio disse...

achei o cd bem legal...melhor que as besteiras q estavam fazendo desde o Load.....nota 7,5..

Giulliana disse...

*________*

sem palavras o_O


adorei a historia epica para o Metallica xD


confesso nao ler um realise historico tao bom assim há tempos ^_^



ouvi o CD e senti td q o texto disse =x

pra mim o novo CD do Metallica é nota 10 ^_~



;***********

Giulliana disse...

nhaaaaaa =p

eu gostava mais do layout antigo :T
com as caveirinhas pequenas no lugar da grandona ^_~


;*******

Giulliana disse...

olha só *_*
axo q isso merece uma comemoracion =p

PRIMEIRA VEZ Q CONCORDO COM O PATRAO DE VOCES \o/


hhehehehe xD

Thiago El Patron disse...

aeeeee giuliana hehehehe powww tava na hora neh hehehehe

fico feliz q vc nao me deu uma patada giu hehehehe brincadeira!!


viu eu sou uma pessoa legal com ideias boas tb hehehe é q minhas opniões são muito fortes e polemicas.

bjos e abraços

Sandman disse...

As caveirinhas voltaram!

Bom, realmente, vou fazer um print disso e colar na parede!

Aliás, Giuliana, vc nos deve uma visita, em!