Cardápio METAL da Semana

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Saudações METALSPLASHERS!!!!
Continuando minha seqüência de colunas fora do padrão hoje vou oferecer alguns títulos de DVD’s para vossa degustação!!!!
Bom Apetite.


A carreira solo de Blaze serviu para provar a todos àqueles que duvidavam de seu talento que o cara fez por merecer(?) o posto de vocalista do Iron Maiden. Se não houve o sucesso esperado, a culpa jamais poderá ser atribuída somente ao nosso grande amigo “costeletas”. Seus três CDs de estúdio são muito bons e ao vivo sua performance é muito mais do que apenas convincente. Acompanhado por uma banda renovada (e honestamente bem mais fraca do que a que tocava anteriormente com ele), Blaze desfila 15 músicas, entre carreira solo, números do Iron Maiden e uma do Wolfsbane (“Tough As Steel”).
O show se inicia com a famosa sirene de ataque nuclear (já usada por Bruce Dickinson na turnê do CD “Chemical Wedding”), e a banda despeja “Speed Of Light” e “The Brave”, para emendar a excelente “Futureal” (com um instrumental bem inferior ao registrado no bom CD ao vivo “As Live As It Gets”). Blaze continua cantando bem, e com sua performance altamente peculiar, mantendo os trejeitos que o caracterizam (em alguns momentos soa um tanto quanto forçado, mas no geral Blaze se dá bem).
Há espaço para músicas de seu último CD (“Alive” e “Ten Seconds”, a primeira antecedida por um discurso inflamadíssimo de Blaze contra as gravadoras que o boicotaram, culminando com o berro de “Blaze Bailey IS ALIVE!”), mas o repertório se concentra nos CDs “Silicon Messiah” e “Tenth Dimension”, com destaque para ótimas faixas como “Born As A Stranger”, “Tenth Dimension”, “Kill And Destroy” e a própria “Silicon Messiah”. Da donzela Blaze manda ótimos sons como “Man On The Edge”, “Sign Of The Cross” , a ótima “Virus” e alguns nem tão bons assim como “Look For The Truth” e “Two Worlds Collide”. Sua banda, conforme já afirmei anteriormente, é apenas razoável, e o desempenho nas músicas do Iron Maiden de fato evidencia tal situação. Mas Blaze ainda é capaz de fazer um show bem forte, e a reação dos fãs comprova tal qualidade, tudo registrado por uma boa e competente filmagem e uma captação de áudio muito bem feita.
Nos extras temos uma interessante entrevista com Blaze (se você segurar o riso ao ver o cara de óculos escuros numa pose hilária), na qual ele revela detalhes de seu começo no metal, os primeiros shows com Wolfsbane, sua entrada e saída do Maiden e seus trabalhos solo. Blaze também aparece em uma entrevista com sua banda, na qual ele fala sobre os membros, e também são mostrados vários comentários sobre o registro do show na Polônia. A banda também apresenta o vídeo de “Hollow Head” (de “Blood And Belief” – curiosamente a música não foi tocada no show) e as já tradicionais galeria de fotos, biografias e imagens.
Blaze parece aos poucos estar retomando as rédeas de sua carreira, e torço sinceramente para que este DVD seja o começo de uma nova era para o nosso querido “costeletas”. Porque o cara merece. Bom vocalista, bom compositor, só um cara que deu azar de estar na banda certa na hora errada (será?).


E nem parece que fazem 10 anos que o Dr. Sin tocou no Hollywood Rock, na mesma noite do L7 e do Nirvana, fazendo um show surpreendente, com muito rock na veia e uma versão matadora para “Whole Lotta Rosie” do AC/DC. Daí para frente a banda só fez crescer. Gravou 4 cd’s de estúdio e um ao vivo, e fez vários shows ao vivo, sendo banda de abertura de vários nomes consagrados, e obtendo reconhecimento como uma das bandas mais talentosas já surgidas no Brasil.
Pena que a banda não estourou mundialmente de fato, mas manteve-se ativa, tendo inclusive contado com o excepcional vocalista Michael Vescera em seu último cd de estúdio (o diferente “II”). Os shows continuaram, e para os que pensaram que a banda tinha sumido eis que em 2002 eles gravam um show especial no Sesc Ipiranga (São Paulo) para lançar em DVD, que só vem a luz agora em 2003, através do contrato com a Paradoxx Music. Um show bem diferente, apenas com jogos de luz e um pano de fundo discreto, mas deixando a mostra todo o talento da banda.
Sons como “Isolated”, “Time After Time”, “Karma” e “The Fire Burns Cold” (originalmente chamada de “I Gave My Soul to Rock and Roll”) soam poderosos pelas mãos da cozinha competentíssima de Andria e Ivan Busic e pela guitarra de Edu Arduany (um dos melhores guitarristas do Brasil por sinal). Mesmo as músicas gravadas com a voz de Michael Vescera soam bem poderosas no vocal de Andria, que continua afiado e potente. Comentários dos músicos aparecem entre as faixas, mostrando o quanto a banda estava feliz de gravar o show. E sons como “Eternity”, “Emotional Catastrophe” (o “hit” do primeiro cd) e a já clássica “Futebol, Mulher e Rock and Roll” (outro “hit” só que do terceiro cd “Insinity”) não podem ficar de fora. E para fechar o massacre uma versão matadora de “Fire” (uma das melhores do segundo cd “Brutal”) com a participação especial de André Matos (Shaman) no vocal, em grande estilo.
Como extras a banda oferece um documentário sobre o show, comentando sobre o inusitado fato de terem gravado o show num teatro, com platéia sentada, o que não duraria muito, e com detalhes interessantes sobre toda parte técnica que envolve o mesmo. Ainda pode-se conferir um “Making – of” com a banda esbanjando bom humor e zoando uns com os outros.
Um belo produto, que faz jus a história de uma grande banda como o Dr.Sin , que mostra que a banda continua viva e na ativa. Parabéns a banda e Long Live Dr. Sin!


Gravado em São Paulo, no Blackmore Rock Bar, no fim de 2006, o resultado ficou até surpreendente. Se a tradicional casa é pequena, a produção visual do DVD soube explorar o máximo possível para fazer um registro de primeira linha, muito rico. Sempre com efeitos, o vídeo teve um acabamento excelente e pode ser considerado um dos melhores nacionais, sem sombra de dúvida.
Se a imagem é boa, o som não poderia deixar de ser. E aí esta outra qualidade, com todos os instrumentos e o vocal se sobressaindo na medida certa. Com tudo isso em cima, ficou fácil para os músicos no palco.
Perna, que teve um horrível acidente na Galeria do Rock, perdendo parte de um de seus polegares, mostra muito talento também no baixo, após ter se adaptado ao instrumento, deixando a guitarra. Já Murilo é muito talentoso nos sombrios vocais da banda, mandando muito bem nos guturais e também em linhas ainda mais "excêntricas", e também nas seis cordas. Completando o quarteto, dois novos membros também mostram muita qualidade: o guitarrista Dennis, que manda muito bem nos solos, e o baterista Fábio, também de muita qualidade, segurando tudo atrás.
Em cerca de uma hora de show, os paulistas detonam 16 sons (há ainda uma intro), com alguns bons destaques, como a forte abertura "Synthetic Screams" e a agressiva "Condemnation", cheia de climas poderosos, com a sonoridade que só o Genocídio tem: aquela mistura própria de influências de Death, Gótico e até Doom, quando a quebradeira toma um andamento mais arrastado. "Numbness Sunshine" mostra duetos muito bons e a porrada de "Encephalic Disturbance" é tamanha que Murilo perde até o fôlego para agradecer ao público. Vale prestar atenção ainda no cover de Sisters of Mercy, "Black Planet", e "Depression", com destaque para os ritmos levados por Fábio.
Ainda no DVD, há um grande registro com cerca de uma hora de entrevistas com todos os integrantes, filmagens ao vivo – as últimas do documentário de altíssima qualidade – e alguns clipes, estes sim bem toscos. Completa o pacote o CD ao vivo com o show e ainda uma boa versão de estúdio para "Nightmarishly", música gravada já com a formação atual, em 2006.
Sobra pouco a falar, sobre "Probations Live". A história da banda fala por si só e mais ainda com o registro feito. Para quem curte, é obrigatório guardar, para quem é da nova geração e ainda não conhece, vale muito dar uma conferida. Do mal!


Bom por hoje é só galera até Domingão no chat, hein?
KEEP ON ROCKING FRIENDS!!!! \m/

7 Metalsplashers:

"Arteathrash" disse...

pow, serjão, depois empresta essas paradas aí!
fica fazendo inveja, meu!
dá licença, né?

EThrash disse...

Última apresentação da minha peça! assistam:

WILL - Colagens de Shakespeare
Data: 31/01/2009
Horário: 20h30
Local: Actor - Espaço Teatral
Endereço: R. Fradique Coutinho, 994 - Pinheiros
Entrada: 1 kg de alimento ou R$ 5,00 (campanha social)

Não percam! Faço 10 personagens neste espetáculo! Lindíssimo!

Carol Cruz disse...

Sempre perfeito seu cardápio, Sé!

Saudades de vcs, já já estou voltando!!!

=*

EThrash disse...

demorou, Carol! volte logoooooooooo!!!

Luiz Amorim disse...

Olha lá, em Carol!

promessa é dívida!!!

Há uns anos eu odiava mortalmente o Blaze. Achei horrível ver ele no Brasil, e apesar do show ser foda com o Helloween no skol rock em 98, Blaze era inaudível. Perdão a quem curtiu ele no Iron.

No entanto, passaram alguns anos e uma amiga minha disse que o tal Blaze estava com uam banda e ele é foda. Ouvi com um puta preconceito, e demorei a adimitir que Blaze achou um belo caminho para fazer metal.

Vou atrás do Genocídio, pois não conheço bem o trampo deles pra comentar. Quanto ao Dr Sin, digamos que é sempre bom ouvir algum som. Nem tenho o que falar.

Abraços!

EThrash disse...

sempre curti o Blaze. a voz dele é forte, imponente, mas infelizmente não combinava com o q o bruce tinha feito no iron.
agora não dá pra imaginar o iron novamente sem o bruce, rs

"Arteathrash" disse...

Em Março - [b]Metalsplash Fest I - Fome de Metal [/b]- o Primeiro Festival do Metalsplash que reunirá 5 bandas, haverá venda e sorteio de Cds, camisetas, adesivos, bottons, participações especiais, humor ao estilo Metalsplash e um objetivo: ajudar às pessoas que precisam através da doação de alimentos.

Data do Evento: [b]29/03/2009[/b]
Bandas que irão tocar - [b]Army of Agony, Blasthrash, BreakdowN, ChaosFear e Red Front[/b]
Local: Hangar 110 - Rua Rodolfo Miranda, 110 - Bom Retiro, SP
Horário: das 17h às 22h
Entrada: [b]apenas R$ 10,00 + 1kg de alimento não-perecível [/b](campanha social - os alimentos serão doados para a instituição [b]Casa de Davi[/b], que cuida de crianças carentes)